Domingo, 11.09.11

tem aproximadamente a minha idade, é alto e de porte forte e masculino.

o cabelo num desalinho encaminhado, e um sorriso bem guardado. mas nada disto importa quando descrever o olhar dele.

cinco mil tempestades furiosas se aproximam ou então é desarmada toda a sua entrega e paixão, não consigo saber o significado do seu olhar.

 muitas das vezes que o observo, é através da lente da minha câmara. sou eu que observo e fotografo. se sou eu, porque me sinto ao mesmo tempo totalmente exposta? de uma maneira corriqueira: não há mais ninguém à nossa volta. não há pessoas, nem luz, nem ar, nem som, aqueles olhos bem abertos conferem-lhe uma aura que absorve tudo e todos. talvez um grito "ESTOU AQUI".

 não percebo, não precisas gritar, já te tinha

visto


tags:

publicado por Caff Eine às 00:35 | link do post | comentar

mais sobre mim
Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

#3

arquivos

Setembro 2011

Janeiro 2011

Agosto 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

tags

5 para a meia noite laranja haiti profes

café vagabundo música moda saldos autoca

concerto

domingo franz ferdinand preguiça

drama novela rapaz the tale

euromilhões música dinheiro paris whatev

férias caos desculpa

música

música filme livro comida mulher mês gos

música the kills jamie hince alison moss

pedro cancro guitarra tale conto

pedro marco tale conto

pessoal

prémio

selo prémio

tramp arriscar risk aventura mentira

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds